Cotação do Dólar na Fatura do Cartão de Crédito

Quem usa o cartão de crédito para fazer compras em dólar está dando um tiro no escuro. No Brasil, as administradoras usam a cotação do dólar do dia de fechamento da fatura para fazer o cálculo da cobrança. Isso quer dizer que, no ato da compra, o consumidor não faz ideia de qual será o câmbio das transações. Além disso, existe outro problema em relação à cobrança em dólares na fatura. Cada instituição financeira pode adotar uma forma de cálculo diferente, ou seja, há grandes variações entre um cartão e outro.

O mais importante nestes casos é observar muito bem sua fatura. Também é interessante se informar e ler o contrato para saber exatamente o que se passa e como se dá a cotação de dólar ou outra moeda estrangeira em seu cartão de crédito. Abaixo, deixamos três pontos a serem levantados por quem utiliza muito o cartão em outra moeda. Veja:

Falta de Transparência

Dólar na Fatura do Cartão

Dólar na Fatura do Cartão

A verdade é que não há transparência na taxa de câmbio cobrada pelas empresas de cartões de crédito. Poucas são as operadoras que deixam bem claro qual a tarifa do câmbio e como serão cobradas. Assim, quem opta por usar essa forma de pagamento em compras internacionais realiza uma transação às cegas.

Ainda em 2014, a Proteste em parceria com o famoso economista Samy Dana, divulgou uma pesquisa que compara as taxas praticadas pelas administradoras com o dólar comercial anunciado pelo Banco Central na mesma data. O resultado mostrou uma diferença de até 5,43% entre a cobrança na fatura (nos cartões do Santander) e a cotação oficial do dólar comercial. Uma grande diferença.

Cotações Variadas

As instituições financeiras não são obrigadas a usar o dólar comercial, afinal, nosso país tem o taxa de câmbio livre e a própria oferta e procura da moeda pode influenciar sua cotação no geral. O Banco Central apenas sugere que essa taxa seja usada como referência nos cálculos. Por isso, cada banco adota um cálculo diferente e a cobrança, no fim das contas, fica mais próxima do dólar turismo que do comercial.

Essa diferença de alguns centavos, que pode parecer pequena, pesa bastante no bolso do consumidor. Segundo os dados da Proteste, alguém que gasta US$1.000,00 no exterior poderá pagar uma diferença de até R$114,48,00 dependendo da cotação utilizada pelo banco ou operadora de cartões.

Diferença Entre os Bancos

Ainda de acordo com a pesquisa, o banco que apresentou menor disparidade na cobrança em relação ao dólar turismo do mesmo dia foi a Caixa Econômica, com diferença de 0,45%. Em seguida vem o Banco do Brasil, com diferença de 3,52%. Os bancos Bradesco, Itaú e Citibank ficaram com a porcentagem em torno dos 4%. E o destaque negativo vai para o Santander, que cobrou 5,43% a mais que o dólar comercial.

Diante desses números, resta ao comprador observar com cautela o cálculo usado pelo banco (informado no contrato) e optar pelo cartão que oferecer a melhor cotação. Além disso, é possível, em viagens internacionais, evitar ao máximo as transações com o cartão de crédito, preferindo o dinheiro vivo ou os cartões pré-pagos. Lembre-se que, além deste valor, é preciso pagar 6,38% de IOF, o imposto sobre operações financeiras que é o mesmo para todas as instituições.


RSS por email

Deixe sua opinião “Cotação do Dólar na Fatura do Cartão de Crédito

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.