Crédito ou Débito: Qual Escolher Para Pagar?

A pergunta “crédito ou débito?” já faz parte do nosso cotidiano. Em todo momento em que sacamos nossos cartões somos confrontados com ela. Mas isso não significa que estamos sempre prontos para respondê-la com certeza. Na verdade, ambas as modalidades de pagamento oferecem vantagens que devem ser levadas em consideração pelo consumidor.

Por essa razão, a escolha depende muito do que você está comprando e do modo como administra suas finanças.

É Melhor Pagar no Crédito?

Quando você opta pelo pagamento no crédito, está utilizando o limite oferecido pela empresa administradora. Nesse caso, ela paga o comerciante e você tem um prazo para quitar todas as despesas do período na fatura. Esse procedimento garante um dos principais benefícios do pagamento no crédito: o prazo. A maior parte dos bancos dá até 40 dias de prazo para compras feitas no melhor dia do cartão.

Com isso, o consumidor tem a possibilidade de reunir diversas despesas em um dia de pagamento único, o que facilita o controle financeiro. Em vez de ter vários gastos no decorrer do mês, você quita a maior parte deles no dia do vencimento da fatura, que deve ser próximo ao recebimento do seu salário. Se você souber administrar bem as despesas e manter o olho na fatura, isso pode facilitar bastante o planejamento das finanças.

É preciso mencionar ainda a possibilidade de parcelamento. Os cartões de crédito muitas vezes permitem que você faça pagamentos parcelados sem juros, conforme as regras do estabelecimento. Essa alternativa pode ser interessante para compras de bens com valor mais elevado, porém o consumidor não pode se esquecer do observar o limite de crédito e se há algum tipo de encargo na transação.

Crédito ou Débito

Na hora de pagar, não tenha dúvida se é crédito ou débito

É Melhor Pagar no Débito?

Agora é hora de comentar as vantagens do pagamento no débito. O consumidor que decide por fazer a compra nessa modalidade tem o valor descontado automaticamente de sua conta corrente. Assim, não há necessidade de crédito, pois o dinheiro está disponível para despesas.

Por causa dessa forma de funcionamento, o pagamento no débito é a modalidade preferida dos super preocupados com juros e cobranças. Ele é quase como o pagamento em dinheiro, ou seja, sem grandes riscos para o bolso. O único alerta é para o saldo da conta, que deve estar positivo. Do contrário, o pagamento pode ser debitado do cheque especial, que tem juros muito altos.

Há ainda aqueles estabelecimentos que oferecem descontos para pagamentos no débito, ainda que isso não seja exatamente legal (do ponto de vista jurídico). Para o Código de Defesa do Consumidor, não pode haver distinções entre formas de pagamento à vista (cartão de crédito, débito ou dinheiro). Mas se você quiser aproveitar o desconto, a escolha do débito pode ser uma vantagem.

Qual Escolher?

Não existe regra, pois, como vocês podem notar, as duas formas de pagamento podem ser interessantes. Alguns especialistas recomendam que o cartão de crédito seja usado principalmente para pagamentos maiores e parcelados, mas há também aqueles que defendem o uso da função crédito para quase todas as despesas (por causa do prazo).

A dica que damos aos nossos leitores é que levem em consideração a forma de uso. Se você costuma ter problemas para administrar as despesas com o cartão de crédito, é melhor ficar apenas com a função débito, que é menos arriscada. Por outro lado, se você consegue investir bem o seu dinheiro, o prazo dado pelas administradoras dos cartões de crédito pode ser uma boa pedida nas compras sem desconto.


RSS por email

Deixe sua opinião “Crédito ou Débito: Qual Escolher Para Pagar?

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.