Limite Emergencial de Crédito

O número de cartões de crédito cresce a cada ano no Brasil, mas muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre essa forma de pagamento. Entre os comentários e e-mails dos leitores do Crédito e Débito, um dos assuntos que mais gera polêmica é o limite do cartão. Por isso, hoje falaremos um pouco mais sobre este tema, especialmente sobre o limite emergencial de crédito.

Primeiro, seria interessante entender como os limites de crédito funcionam. Preparamos anteriormente um post explicando os limites de crédito que um cartão possui. Abaixo, vamos retomar os pontos principais em resumo.

O Limite do Cartão

Esse limite representa o valor máximo que o indivíduo pode gastar com o cartão de crédito em qualquer época. É equivalente a dizer que seu limite é o valor total de suas compras com o cartão a vista ou a prazo.

Para entender melhor como funciona, é preciso pensar no cartão de crédito como uma modalidade de empréstimo. A financeira responsável disponibiliza ao seu cliente um valor determinado que ele pode utilizar totalmente, parcialmente ou simplesmente não utilizar. Se o limite do seu cartão for de R$1.000,00 esse é valor máximo que será “emprestado” pela financeira para que você efetue compras.

Ao utilizar este crédito fornecido pela operadora, você terá um limite menor na próxima compra. Ao pagar a fatura do cartão, este limite é restabelecido.

Limite Emergencial de Crédito

O limite emergencial de crédito serve para ampliar esse valor máximo em algumas situações emergenciais.

Limite Emergencial de Crédito

Entenda como funciona o limite emergencial do seu cartão de crédito!

Vamos supor, mais uma vez, que o seu limite de crédito é R$1.000,oo, mas você quer comprar um produto que custa R$1.200,00. Nesse caso, alguns bancos disponibilizam o limite emergencial, ou seja, uma quantia a mais para que você possa comprar o que precisa utilizando o cartão que tem o limite mais baixo.

Em resumo, podemos dizer que o limite emergencial de crédito é um serviço que possibilita gastos acima do limite do cartão.

A liberação desse limite adicional depende de uma avaliação de crédito por parte do banco, que pode optar por conceder o limite emergencial ou não. Também não existe uma regra para definir qual será o valor máximo do limite emergencial. Tudo vai depender da análise feita pelo banco e do contrato de cada cartão de crédito.

Na maioria dos casos, este limite terá uma tarifa a ser paga e o valor da tarifa cobrado na próxima gatura. No Banco do Brasil, por exemplo, o valor é de R$18,00 a ser debitado na fatura como AVAL.EMERG.CRÉDITO e só pode ser cobrado uma vez por mês, independente de quantas utilizações forem feitas. Outros bancos cobram valores semelhantes. Por exemplo, a tarifa de avaliação emergencial do Bradesco também custa R$18,00, já no Itaú, a tarifa é um pouco mais cara, custando R$18,90 por cada solicitação mensal.

Como Solicitar o Limite Emergencial

Existem duas formas de solicitar o Limite emergencial. A primeira e mais fácil oferecida por alguns bancos a análise é feita no momento da compra. Se você fizer uma compra que exija o limite superior, ela poderá ser aprovada automaticamente. Nesse caso, será aprovada e também será cobrada a avaliação de crédito. Isso é válido para os principais bancos. Tanto Banco do Brasil, quanto Itaú e Bradesco avaliam o limite emergencial automaticamente no ato da compra.

Já para outros bancos que oferecem esse serviço, é preciso entrar em contato pelo Central de Atendimento ou procurar uma agência bancária para solicitar o limite emergencial de crédito. Como dito, esse serviço pode ter cobranças adicionais, que variam de banco para banco. O ideal é procurar informações específicas sobre o seu cartão antes de pedir o limite emergencial.

E lembre-se: o limite do seu cartão não deve ser maior que sua renda mensal. Só faça compromissos no cartão de crédito se souber que poderá quitar as faturas em dia.


RSS por email

Deixe sua opinião “Limite Emergencial de Crédito

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.