Quanto Custa Uma Máquina de Cartão?

Colocando esses custos no papel, é comum que estabelecimentos pequenos e profissionais autônomos descubram que a contratação da máquina de cartão não vale a pena. Em média, o gasto com o aluguel de um aparelho gira em torno de R$120, dependendo do tipo escolhido: as sem fio, por exemplo, são mais caras. A marca também interfere nesse valor, havendo empresas que cobram menos ou mais pelo serviço. Para as taxas que incidem sobre a venda, o percentual fica entre 2% e 6%, geralmente havendo acréscimo nas compras parceladas. Para quem não tem um volume de vendas muito alto, o ideal é que essa tarifa seja reduzida para que o uso da máquina de cartão compense.

Máquinas de Cartão

Para facilitar a vida de quem procura as famosas maquininhas, fizemos uma pesquisa de preços. Os dados são referentes ao mês de abril de 2015. Vale ressaltar que muitas marcas não divulgam os custos da maquininha, o que dificulta a escolha. Veja os dados:

Cielo

Cielo

Cielo

A Cielo é uma das principais empresas do ramo de recebimentos com cartão. Mas apesar da fama, a marca não se preocupa em divulgar os valores relativos a aquisição dos terminais. Segundo informações do site:

Os custos variam e dependem da atividade do seu estabelecimento e das condições de negociação. A mensalidade é fixa e cobre os custos de manutenção, envio de bobinas, aluguel da máquina e eventuais deslocamentos até o estabelecimento. Já as taxas sobre as vendas são variáveis e cobrem o custo por venda, repasse às operadoras de cartão, segurança da operação e o investimento constante em melhorias.

Para que o interessado tenha acesso aos preços, é necessário entrar em contato com a Central de Atendimento: 3003-8472 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800-727-8472 (demais localidades).

Rede

Rede

Rede

Outra gigante do ramo é a Rede (antiga Redecard). Também nesse caso, não foi fácil encontrar dados da própria empresa sobre os custos da maquininhas. Os números que trazemos aqui são do Konkkero, mas se referem a fevereiro de 2014, servindo apenas de base para que você conheça os custos:

  • Máquina fixa – R$79 + R$4,50 dos relatórios de vendas. São cobrados 3,8% para vendas no crédito, 2,5% para vendas no débito e 4,85% para vendas parceladas;
  • Máquina móvel – R$110 + R$4,50 dos relatórios de vendas. As tarifas por vendas são as mesmas do modelo anterior;
  • Leitor de cartão – não tem aluguel e o dispositivo custa R$129. As vendas no crédito têm desconto de 3,99% e no crédito parceladas de 6,99%.

Todos esses planos têm uma taxa de adesão de R$54.

PagSeguro

moderninha uolO PagSeguro também entrou para o mercado de recebimento de cartões mais recentemente. O último lançamento da empresa é máquina Moderninha, que pode sair mais em conta para o usuário que outras máquinas mais tradicionais. Não se trata de um leitor, mas sim de um aparelho totalmente pronto para receber pagamentos com cartão de crédito ou débito. A diferença é que o cliente também compra a máquina, ficando, assim, isento de aluguel. Atualmente, o custo da Moderninha é de R$4787,80 dividido em 12 parcelas de R$39,90. A cobrança por cada venda é de 3,19% nas transações feitas com cartão de crédito, 2,39% nas transações feitas com cartão de débito e acréscimo de 2,49% nas compras parceladas.

Além da Moderninha, o PagSeguro também oferece 3 opções de leitores de cartão:

  • Leitor de Crédito – R$118,80 pelo aparelho e 3,59% por venda;
  • Leitor de Crédito e Débito – R$430,80 pelo aparelho, 3,19% por venda no crédito e 2,39% por vendas no débito;
  • Leitor de Crédito e Débito MINI – R$358,80 pele aparelho e mesmas taxas do Leitor de Crédito e Débito.

Todos os leitores precisam estar acoplados a um dispositivo móvel para funcionar com aplicativo gratuito.

Santander

Santander

Santander

Depois que o governo federal acabou com a exclusividade das empresas de recebimento de cartões com as bandeiras, o setor se diversificou com a entrada de novos concorrentes. Um deles foi o banco Santander, que lançou uma novidade no mercado: conta bancária + máquina de cartão.

A junção dos dois serviços possibilita que o cliente tenha descontos no aluguel das maquininhas e vantagens ao utilizar os produtos do banco. Se o volume de vendas mensal com a maquinha ultrapassar os R$3 mil, é dado um desconto de 25% a 100% no valor do pacote de serviços bancários e desconto de até R$25 no aluguel do aparelho. Quando o faturamento é superior a R$30 mil, o cliente fica isento do pagamento do aluguel.

Outra opção dada pelo banco é a Conta Conecta, que pode ser solicitada por pessoas físicas ou jurídicas. Com ela, o cliente tem a possibilidade de pedir um leitor de cartão de crédito para se acoplado a qualquer dispositivo móvel (smartphone ou tablet). O leitor opera com as bandeiras Visa e Mastercard e atualmente custa R$99. Como o aparelho é comprado pelo cliente, não há cobrança de aluguel. Além desse valor inicial, também é cobrada uma porcentagem sobre cada venda de 5,99%. No caso das compras parceladas, é acrescentado mais 1% a cada parcela.

Conclusão

Como mencionamos antes, essas informações servem apenas como referência para que você possa decidir pelo aparelho mais adequado para suas necessidades. Antes de optar por qualquer uma delas, sugerimos que você entre em contato com essas e outras empresas para averiguar os preços, produtos disponíveis e possibilidades de desconto. Os leitores de cartão (para smartphone ou tablet) costumam ser mais vantajosos para pessoas físicas com volume de vendas menor. Já as maquininhas de cartão atendem melhor aos donos de estabelecimentos com um faturamento que compensa os custos do aparelho. De todo modo, vale a pena comparar, tirar dúvidas e só fechar o contrato depois de muita pesquisa.


RSS por email

1 Comentário em “Quanto Custa Uma Máquina de Cartão?

  1. emerson da siva rosa disse em 09/07/2015 às 16:27:

    não vejo diferença tem que pagar pelas vendas do mesmo jeito!!

Deixe sua opinião “Quanto Custa Uma Máquina de Cartão?

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.