Mitos Sobre o Dinheiro

Existem vários mitos e meias verdades que são propagadas por aí quando o assunto é dinheiro. Pensando em nossos leitores, que sempre querem se manter bem informados, listamos alguns desses argumentos que sempre escutamos, mas que não fazem sentido na realidade econômica atual. Leia com atenção para fugir de enrascadas financeiras.

Dinheiro

Dinheiro

Compra da Casa É Prioridade

Minha mãe costuma repetir um velho ditado: quem compra terra não erra. Na opinião de muitas pessoas, o mesmo vale para os imóveis. Porém, essa noção de que a compra da casa é sempre uma prioridade não condiz com o universo financeiro da atualidade. Em muitos casos, é mais importante investir em uma boa formação, por exemplo, a fim de garantir um salário promissor no futuro. Além disso, a compra financiada pode ser pouco interessante quando comparada aos gastos com aluguel.

É Melhor Empurrar o Pagamento do Cartão

É curioso como muitos brasileiros fazem uso do crédito rotativo do cartão quando estão com problemas financeiros. Essa escolha, tão comum, está na lista das mais prejudiciais para o bolso. Poucas linhas de crédito são tão caras quanto a do cartão. Por isso, vale mais a pena pegar um empréstimo com boas condições de pagamento que financiar a fatura. Dependendo da situação, até o atraso no pagamento vale mais a pena que o uso do crédito rotativo.

Gerente de Banco É o Melhor Conselheiro

Ele até deveria ser instruído para dar bons conselhos financeiros, mas a verdade é bem diferente. Os gerentes costumam defender os interesses financeiros dos bancos (ou serem obrigados a cumprirem metas que os bancos lhe impõem), o que pode significar as piores escolhas para os clientes. Um bom exemplo disso são os títulos de capitalização, que costumam ser “empurrados” nos clientes a todo custo. Bons conselheiro financeiros sabem que os títulos não são um bom investimento e só são atrativos para os banqueiros.

Dinheiro Não Compra Felicidade

Felicidade é um conceito bem complexo. Podemos sim ser felizes na mais completa pindaíba, mas é muito mais fácil manter a tranquilidade quando as contas estão pagas. O uso consciente do dinheiro pode trazer mais qualidade de vida, conforto e um bom futuro. De fato, o dinheiro não compra felicidade, mas contribui, e muito, para uma vida melhor. Por outro lado, as dívidas e falta de renda são significativas nos casos de estresse e depressão. Não estamos falando aqui de grandes fortunas, apenas aquilo que seja suficiente para levar sua vida, em um nível que gostaria, sem luxo extravagantes, por exemplos.

Não Custa Nada Apostar na Sorte

Os chamados jogos de azar, como é o caso da loterias, atraem muitas pessoas que sonham com mais dinheiro no bolso. Porém, esse tipo de “investimento” custa sim dinheiro. Você já parou pra pensar no quanto teria uma pessoa que apostou todas as semanas um valor fixo durante 30 anos? Quem guarda esse dinheiro certamente o terá corrigido e multiplicado no futuro. Já quem costuma jogar, corre sérios riscos de nunca mais ver o que foi gasto.

Contas no Débito Automático São Mais Baratas

O pagamento de contas em débito automático é uma excelente alternativa para quem não quer atrasar o que deve. No entanto, não é verdade que essa escolha reduz o valor das contas. O que ocorre é que o pagamento automático impede a cobrança de juros e multa por atraso. Outra vantagem é a possibilidade de acúmulo de pontos em programas de fidelidade oferecidos pelos bancos. E existem também algumas situações em que concessionárias de telefone, tevê e outros dão descontos para quem usa o débito automático. Além disso, se pagar no débito automático na data correta, seu dinheiro poderá render alguns dias até lá.

Futuro tranquilo

Futuro tranquilo

Dívidas Ajudam a Manter o Controle Financeiro

Esse é uma argumento muito comum. As pessoas acham que pagando dívidas de financiamentos e compras parceladas não vão gastar o dinheiro com “bobagens” e conseguirão mais bens no decorrer da vida. O que elas geralmente não pensam é quem quem investe o próprio dinheiro costuma comprar o que quer de forma mais consciente e pagando menos. O planejamento financeiro exige sim mais controle dos gastos, mas traz retornos bem melhores. Além disso, as dívidas são arriscadas em casos de emergência, como a morte do cônjuge ou uma situação de desemprego.

Preciso Manter Minha Conta no Banco Pois Tenho Dívidas

Ninguém precisa manter conta no banco, ficar com um cartão de crédito ou deixar de cancelar a prestação de um serviço porque tem dívidas pendentes. Se você, por exemplo, está devendo ao banco, é totalmente possível fechar sua conta e abrir outra em uma nova instituição. Nesse caso, só é necessário que você continue pagando aquilo que é devido. Ao fazer isso, vale a pena negociar com a instituição um parcelamento da dívida com boas condições de pagamento. Dessa forma, seu nome não fica sujo e você tem a possibilidade de conseguir crédito mais barato.

Não Preciso de Um Seguro de Vida

Pessoas com pouca idade costumam achar que o seguro de vida não vale a pena, simplesmente porque elas ainda são jovens. Porém, todo mundo corre o risco de morrer. A questão da idade só vai pesar no tipo de investimento a ser feito. Um seguro de vida pode não valer a pena para pessoas jovens, porém o mesmo dinheiro pode ser destinado a um plano de previdência privada (que poderá ser sacado por familiares em casos de emergência). A dica é procurar pelas opções disponíveis, mas sempre guardar dinheiro para situações imprevistas.

Vale a Pena Investir em Automóveis

Hoje em dia é praticamente impossível viver sem um automóvel. Não podemos negar os benefícios trazidos pelo carro, mas daí a achar que ter um veículo é investimento já são outros quinhentos. Carro é algo difícil de ser vendido, que traz muitas despesas e perde seu valor rapidamente. Por isso, não vale a pena investir na compra de um imóvel. A questão a ser pensada é quais são as vantagens que a posse de carro vão trazer para você e para sua família.


RSS por email

Deixe sua opinião “Mitos Sobre o Dinheiro

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.