Como Funciona o Desconto em Folha?

Falamos de desconto em folha quando alguma cobrança é debitada diretamente do salário ou benefício. O imposto de renda, por exemplo, pode ser descontado em folha caso o salário do contribuinte seja maior que o mínimo exigido para a cobrança. Outro desconto comum é o da contribuição previdenciária, conforme as regras estabelecidas pelo INSS.

Empréstimo com desconto em folha

Desde 2003, o trabalhador também pode contratar empréstimos com desconto em folha por meio das linhas de crédito consignado. Esse tipo de empréstimo é regulamentado pela Lei 10.820 de 17/12/03 e pelo Decreto 4.961 de 20/1/04, ambos criados no governo Lula. O consignado possibilita condições facilitadas e juros reduzidos porque o credor tem a garantia do recebimento das parcelas todos os meses. De certa forma, podemos dizer que o crédito consignado é benéfico tanto para quem empresta quanto para quem pega o dinheiro emprestado.

Quem pode solicitar o crédito consignado?

Para que o trabalhador possa solicitar um empréstimo com desconto em folha, é necessário que haja um convênio entre a empresa/instituição na qual ele trabalha, o banco e o sindicato da categoria. Quase todos os bancos disponibilizam linhas de crédito consignado para funcionários públicos, militares, aposentados e pensionistas. Para trabalhadores de empresas privadas, é necessário procurar o RH da empresa em questão para saber se ela possui convênio com alguma instituição financeira.

Como funciona o desconto em folha?

Após a contratação do empréstimo consignado, as parcelas serão debitadas automaticamente do salário do trabalhador. Isso quer dizer que o valor pago já virá reduzido do equivalente à prestação do crédito contratado. Se o seu salário é de R$2000 e as parcelas do empréstimo consignado consignado custam R$400, então você receberá R$1600 até o fim do pagamento. Com essa dedução, é muito importante que o contratante lembre-se que terá que viver com um salário reduzido durante o período de quitação da dívida.

Desconto em folha

Com o desconto em folha, seu salário se torna menor

E se o funcionário for demitido?

Em caso de demissão, o trabalhador que contratou um empréstimo consignado deverá quitar o que falta de uma só vez. Nessa situação, é como se o contrato fosse cancelado, já que não há mais a possibilidade de se descontar as parcelas do salário mensal. A credora poderá solicitar a retenção de até 30% do valor da rescisão do trabalhador para quitar a dívida. Se o valor retido for suficiente, o empréstimo e considerado como pago. Do contrário, o devedor deverá pagar o restante imediatamente ou aceitar um novo contrato com condições de pagamento de um empréstimo pessoal (juros mais altos).

Vale a pena fazer um empréstimo consignado?

A contratação do empréstimo com desconto em folha deve ser bem pensada, pois implica numa redução do salário ou benefício recebido todos os meses. Além disso, para funcionários de empresas privadas, há o riso de demissão, que pode tornar o crédito pouco vantajoso. Em várias situações, o crédito consignado pode parecer uma solução, como, por exemplo, para quitar dívidas mais caras. Os juros reduzidos devem ser bem aproveitados pelo contratante, mas não para qualquer coisa. Não vale a pena usar o empréstimo consignado para comprar bens, viajar ou demais gastos que podem ser evitados.

O ideal é usá-lo somente em situações emergenciais.


RSS por email

2 Comentários em “Como Funciona o Desconto em Folha?

  1. Maria Luiza dos Santos Eguchi disse em 17/10/2015 às 08:29:

    preciso de um empréstimo em torno de 1500,00 para desconto em folha. Não tenho margem para consignado, Sou pensionista do INSS. Podem mandar alguma informação?
    Maria Luiza

    • Crédito e Débito disse em 17/10/2015 às 18:52:

      Maria, é preciso que você entre em contato diretamente com alguma empresa de empréstimos.

Deixe sua opinião “Como Funciona o Desconto em Folha?

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.