Financiamento Estudantil: Alternativas ao FIES

Depois de vários anos de funcionamento, o FIES parece tender para um fim próximo. No início de maio, o governo federal anunciou o fim dos recursos destinados para o programa em 2015. Uma nova edição do FIES nos anos seguintes também é questionada, uma vez que a liberação de verba para o financiamento estudantil depende do acerto das contas públicas. Diante dessa situação, resta aos estudantes que não têm condições de pagar a mensalidade de um curso superior recorrer às instituições privadas. No artigo de hoje, falaremos sobre as principais alternativas existentes para substituir o FIES.

Juros Mais Altos

Outras opções de financiamento existem. O problema é que os bancos privados cobram mais caro que FIES pela linha de crédito. No Bradesco, por exemplo, os juros ficam em torno dos 28% ao ano, enquanto o financiamento do governo têm média de 3,4% ao ano. Outra diferença em relação ao FIES é na forma de pagamento. No programa governamental, o estudante só começa a pagar a dívida depois de se formar. Já nas instituições privadas, parte do pagamento é feita enquanto o aluno ainda está cursando a faculdade. Por isso, é necessário que o interessado observe bem todas as taxas e procure negociar condições mais atraentes de crédito.

Saiba quanto o custa o financiamento estudantil em instituições privadas

Saiba quanto o custa o financiamento estudantil em instituições privadas

Como Funciona?

Três principais linhas de crédito estudantil são oferecidas por instituições privadas: o financiamento estudantil do Bradesco, o Pravaler Crédito Universitário da Ideal Invest e a Fundaplub. Em todos eles, o teto do valor a ser financiado é de 50% do custo total do curso. O crédito pode ser solicitado tanto por alunos que estejam ingressando no ensino superior quanto por aqueles que já estão com o curso em andamento. Para que o aluno tenha acesso ao crédito, é necessário que a Universidade tenha parceria com a instituição que disponibiliza o crédito. Para que você entenda melhor, explicaremos um pouco mais sobre o funcionamento de cada uma dessas linhas principais.

Financiamento Estudantil do Bradesco

O Bradesco é uma das instituições que oferece o financiamento estudantil para alunos do ensino superior. Como comentamos antes, os juros praticados pelo banco são um pouco elevados, o que deve ser observado com atenção pelo contratante. prazo de pagamento é de 12 meses para cada semestre estudado. Dentre as linhas de créditos observadas aqui, essa é que oferece menos parcerias com universidades. O Bradesco tem parceria com as seguintes instituições: Unijorge, Unifran, Insper, Faculdade Metropolitana de Caieiras, ESPM, Ibmec, Iesa e Unipiaget. A solicitação deve ser feita por maiores de 18 anos ou pelo responsável legal. Para receber o crédito o solicitante deve ser correntista do Bradesco e é feita uma análise de crédito para aprovação do financiamento. Uma vantagem é que o Bradesco também financia a matrícula do curso. Por outro lado, o valor de crédito não pode ser usado para disciplinas em que o aluno já foi reprovado.

Pravaler Crédito Universitário

O Pravaler oferece juros mais competitivos que os do Bradesco: 16,2% ao ano. No entanto, várias instituições parceiras subsidiam uma parte do custo da mensalidade, fazendo com que os custos sejam ainda menores. Nas faculdades administradas pela Ser Educacional, como a Ung (SP) e a Uninassau (PE), os juros oferecidos são os mesmos do FIES: 3,4% ao ano para novos contratos. A Ideal Invest tem parceria com mais de 70 universidades, o que torna o acesso ao crédito mais amplo. O prazo de pagamento, assim como no Bradesco, é de 12 meses para cada semestre. Uma vantagem é que a contratação pode ser feita pela internet, com envio de documentação totalmente online: www.creditouniversitario.com.br. A aprovação do financiamento exige comprovação de renda mínima equivalente ao valor de 2 mensalidades. Além disso, o aluno e o seu garantidor não podem ter restrições no CPF.  No Pravaler, o aluno com o curso em andamento que solicita o financiamento pode usar o crédito para pagar até duas parcelas em atraso. Quem é bolsista ou tem desconto também pode financiar o valor restante da mensalidade, o que pode representar uma boa economia.

Crédito Educativo Fundaplub

A Fundaplub é uma organização privada que reúne diversas instituições de ensino dispostas a financiar parte dos custos de seus cursos. Diferentemente dos demais financiamentos comentados aqui, o crédito estudantil não cobra juros, mas sim uma taxa administrativa de 0,35% ao mês. Isso faz com que o valor do financiamento seja apenas um pouco maior que o do FIES, o que pode ser bem interessante para quem estuda ou pretende estudar em uma das universidades parceiras. Para solicitar o crédito na Fundaplub, o precisa fazer a inscrição na universidade pelo site, disponibilizar os dados de um fiador e se cadastrar com o e pedido de crédito. Depois que todo o processo é aprovado pela internet, o aluno e o seu fiador assinam o contrato e apresentam os documentos diretamente na instituição de ensino. Os estudantes que possuem desconto na mensalidade ou bolsa não podem contar com financiamento. No entanto, o crédito poderá ser mantido caso a matrícula seja trancada por até 2 semestres.

Crédito Universitário

Veja as dicas para fazer a escolha certa

Alguns Cuidados

É importante alertar para os riscos do financiamento imobiliário. Esse tipo de crédito, mesmo custando menos que outras linhas disponíveis no mercado, pode prejudicar a vida financeira de jovens que estão apenas dando os primeiros passos rumo a uma carreira. Com o FIES, é possível contar com a renda que será obtida após a formatura, já que o pagamento se inicia somente após o término no curso. Nas alternativas apresentadas aqui, a família e o aluno precisam se planejar para pagar o financiamento durante o curso, deixando a dívida mais pesada. Algumas dicas podem ajudar você a tomar as decisões relativas ao financiamento com mais segurança:

  • Tenha sempre em mente que o diploma universitário não é sinônimo de um emprego garantido no futuro;
  • Procure escolher cursos e instituições de ensino que possam trazer mais retorno no futuro;
  • Lembre-se que fazer uma faculdade tem vários custos envolvidos, como transporte, compra de materiais e livros;
  • Ao contratar o financiamento, procure reduzir ao máximo o tempo de pagamento e negocie tarifas reduzidas;
  • Compare os custos do financiamento em diferentes universidades em vez de simplesmente aceitar as condições oferecidas para uma instituição específica.

Os estudantes também devem cogitar a possibilidade de adiar a entrada na faculdade para juntar o dinheiro necessário para o pagamento do curso. O ingresso em universidades públicas, mesmo que exija um pouco mais de dedicação, é outra maneira de economizar com a mensalidade e evitar o endividamento precoce.


RSS por email

Deixe sua opinião “Financiamento Estudantil: Alternativas ao FIES

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.