Como Funcionam as Máquinas de Crédito e Débito?

Ontem eu peguei um táxi e estava conversando com a taxista sobre a dificuldade em encontrar outros taxistas que aceitem pagamentos com cartão. Ela acabou me explicando que muitos até tentaram aderir às maquininhas, mas acabaram percebendo que os custos eram elevados demais e não compensavam para os profissionais.

Com a conversa fiquei pensando sobre as vantagens e desvantagens de se adquirir uma máquina de cartão. Muitas pessoas se interessam em possuir um aparelho do tipo, mas nem todas sabem sobre o funcionamento das máquinas, nem sobre as cobranças envolvidas. Por isso o assunto de hoje é como funcionam as máquinas de crédito e débito.

Como funcionam as máquinas de cartão?

Antigamente um lojista para receber um pagamento com cartão precisava ligar para a administradora, informar os dados do cartão, passar o custo da mercadoria e então finalizar a transação. De certa forma, podemos dizer que uma máquina de cartão desempenha essa função, só que de forma mais simples e rápida. Ela serve exatamente para contatar a empresa responsável pelo cartão, mas faz isso quase que automaticamente.

O cliente paga para comprar na maquininha?

Não. Quem deve arcar com os custos de cada transação é o lojista. A taxa cobrada por transação varia conforme a empresa contratada, mas costuma ser em torno de 3% para vendas no débito e 5% para vendas no crédito. Alguns comerciantes até tentam repassar esse custo para os compradores elevando o preço das mercadorias, mas essa prática fere os direitos do consumidor. Ao optar pelo recebimento de cartões, o lojista está ciente de que essa decisão envolve custos que são de sua responsabilidade.

Qual máquina de cartão é mais barata?

É difícil responder a essa pergunta porque os custos variam conforme o tipo de máquina escolhida, o ramo de atuação do estabelecimento, o volume de vendas e outros fatores. No entanto, é possível dizer que as máquinas de cartão para celular são mais baratas porque não há cobrança de aluguel. A Moderninha também é uma opção mais em conta, assim como os leitores da iZettle. A questão é que se você tem, por exemplo, um supermercado, vale mais a pena investir nas máquinas tradicionais com um sistema integrado. Resumindo, a escolha vai depender do que o comerciante precisa.

Leitor de cartão

Máquina de cartão para o celular

Como é feito o pagamento ao lojista?

O pagamento por cada transação é feito por meio de uma conta bancária. Por isso, todas as empresas exigem que o solicitante tenha conta em algum banco. O prazo para o pagamento depende da empresa responsável pela máquina e também da transação. Em muitos casos, os valores são transferidos em até dois dias úteis, mesmo para compras parceladas. Existem também empresas que exigem prazos maiores, principalmente para as vendas no crédito. O lojista tem a opção, muitas vezes, de antecipar o que vai receber, como um crédito.

Qual é o valor do aluguel?

O aluguel costuma ser a taxa mais pesada para quem contrata uma maquininha, fazendo com que o uso se torne inviável (como no caso dos taxistas que mencionei no começo do texto). Para que você tenha uma noção, a Cielo, uma das grandes empresas do ramo, cobra atualmente R$96 pelo uso mensal da máquina de cartão fixa e R$139 pelo maquininha móvel. Já a Rede tem custos um pouco menores: R$80 pela máquina fixa e R$110 pela móvel. Esses valores podem se alterar dependendo da negociação, mas servem de referência para a nossa análise. Dependendo do volume de vendas com o cartão, arcar com esses custos pode realmente não compensar.

E as máquinas de cartão para celular?

Como comentamos antes, os leitores de cartão que podem ser acoplados ao celular são uma boa alternativa para profissionais autônomos ou pequenos comerciantes. A grande vantagem desses aparelhos é que não há cobrança de aluguel, porém a taxa sobre cada transação costuma ser um pouco mais elevada. Outro ponto a ser observado é que os leitores ainda não são tão populares e podem gerar desconfiança por parte dos clientes na hora de pagar.

Compensa adquirir uma máquina de cartão?

Essa é uma questão subjetiva, que pode ter respostas diferentes em cada caso. A taxista com quem conversei ontem prefere manter a máquina de cartão, mesmo com os custos. Segundo ela, vários clientes fixos, que pegam táxi com ela todos os dias, fazem questão de pagar com o cartão. Para manter a fidelidade, ela acha que vale a pena arcar com o aluguel e com as taxas, mas nem todos os taxistas pensam da mesma forma. Hoje em dia, muitos consumidores mal andam com dinheiro, então a aceitação de cartões torna os pagamentos mais práticos. Ainda assim, é importante levar em conta todas as despesas relacionadas à maquininha para decidir se a aquisição compensa.


RSS por email

2 Comentários em “Como Funcionam as Máquinas de Crédito e Débito?

  1. fabricio disse em 23/07/2015 às 19:27:

    ola. gostaria de saber se em uma venda parcelada se eu posso antecipar o recebimento ou tenho q esperar as parcelas para eu receber? e se posso antecipar quanto q eu devo pagar a mais por esse cerviso.obrigado.

    • Crédito e Débito disse em 02/08/2015 às 11:30:

      Fabrício, muitas empresas que fornecem máquinas de cartões também oferecem este serviço de antecipação de recebíveis. O valor cobrado por cada uma depende dos contratos.

Deixe sua opinião “Como Funcionam as Máquinas de Crédito e Débito?

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.