Consórcio do Banco do Brasil

Muitos brasileiros estão optando pelo consórcio ao invés do financiamento simples na compra de bens mais caros, como veículos e imóveis. Essa modalidade de venda pode ser mais atrativa, porque tem taxas reduzidas em relação ao financiamento comum. A diferença está no modo de funcionamento dos consórcios e para entender isso melhor é necessário voltar um pouco no tempo.

História dos Consórcios

O consórcio é fruto da imaginação de alguns brasileiros. Por volta da década de 60, a indústria automobilística começou a se expandir no Brasil, mas naquelas época ainda não havia a oferta de crédito como temos hoje. Por causa disso, um grupo de funcionários do Banco do Brasil decidiu criar um fundo monetário coletivo para que todos os membros pudessem, depois de algum tempo, adquirir um automóvel. A cada mês, todos os participantes pagavam um valor determinado. A soma desses valores equivalia ao preço de um carro, então um dos consorciados podia adquirir o bem. Para decidir que ficaria com o “prêmio” naquele mês, eles realizavam um sorteio. Depois de algum tempo, todos seriam beneficiados com o montante, alguns mais rápido e outros só ao final do consórcio.

BB Consórcio

BB Consórcio

Consórcio do Banco do Brasil

Talvez porque o consórcio tenha sido criado por funcionários da instituição, atualmente o Banco do Brasil é um dos grandes administradores de consórcio do país. O banco oferece diversas possibilidades de consórcio para quem quer adquirir automóveis, motocicletas, imóveis, produtos eletrônicos, máquinas e até mesmo alguns serviços. Os prazos, valores e condições de pagamento variam conforme o tipo de consórcio escolhido pelo cliente, como veremos adiante.

Consórcio de Veículos

Dizem que o brasileiro é apaixonado por carros (e os congestionamentos estão aí para provar que a afirmação é verdadeira). Essa paixão estimula muito o setor de financiamento de veículos, incluindo, é claro, os consórcios. No Banco do Brasil, que adquire um consórcio de veículos pode comprar carros usados ou novos, importados ou nacionais, com valores bem variados. O prazo de pagamento é de até 84 meses, lembrando que o participante pode ter que esperar todo esse tempo para receber o veículo. Além dos sorteios, os consorciados têm a possibilidade de dar lances para antecipar o recebimento do bem, levando quem dá os maiores lances.

Consórcio de Imóveis

Outra modalidade de consórcio que faz bastante sucesso é o de imóveis. O grande atrativo são os juros reduzidos em comparação com os financiamentos. O prazo para pagamento do imóvel também é atrativo: 200 meses, mas não devemos esquecer que esse pode ser o tempo de espera para o recebimento do bem. Com a carta de crédito em mãos, o consorciado contemplado pode usar o valor para comprar casas, apartamentos, terrenos e imóveis rurais.

Consórcio de Serviços

O consórcio de serviços é menos conhecido do público em geral, mas pode ser uma boa opção para quem precisa de uma quantidade maior de dinheiro para financiar uma festa de casamento, uma viagem para exterior, um curso, um cirurgia plástica ou outros serviços que custam caro. O sistema de funcionamento do consórcio é o mesmo: o consorciado paga mensalmente as parcelas e recebe o valor quando é contemplado por sorteio ou por lance.

Consórcio de Eletrônicos

Essa é outra modalidade menos conhecida, mas que tende a crescer. O consórcio de eletrônicos se destina à compra de produtos como smartphones, tablets e computadores. O prazo de financiamento é de 36 meses, maior que o oferecido pelas lojas. Por isso, quem tem interesse em comprar esses itens mas não tem o dinheiro em mãos pode recorrer ao consórcio, desde que pense no prazo de espera.

Para mais informações, sugerimos que você acesse a página do BB Consórcios.


RSS por email

Deixe sua opinião “Consórcio do Banco do Brasil

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.