Como ter uma Conta Corrente Gratuita

Não seria bom se você pudesse usar os principais serviços bancários sem pagar nada? Pois saiba que isso é possível. Obviamente, as instituições financeiras não divulgam esse tipo de possibilidade, porque interferiria nos gigantescos lucros dessas empresas, porém desde 2008 os brasileiros podem tem acesso a uma série de serviços sem custos em qualquer banco nacional. Vamos explicar melhor como isso funciona.

Pacotes de Serviços

Ao abrir uma conta no banco, você conversa com o gerente, apresenta os documentos e ele irá oferecer uma cesta de serviços adequada ao seu perfil, pelo menos em tese. Essas cestas de serviços contam com determinado número de serviços e produtos incluído em um custo final. Vamos imaginar o seguinte exemplo:

No Banco Lucro Sempre, cada saque custa R$2, o extrato custa R$1 e a emissão de 10 folhas de cheque custa R$10. Assim, o cliente que fizer 4 saques, consultar o extrato 2 vezes e emitir um talão com 10 cheques pagará R$20. Porém, o banco oferece uma cesta de serviços que inclui 4 saques, 2 consultas ao extrato e 10 folhas de cheque por um total de R$10 por mês. Esse pacote sai mais em conta, porém o cliente paga a mais se usar serviços não incluídos mas não tem redução no custo se não utilizar tudo o que é disponibilizado.

Esse é apenas um exemplo, mas serve para que possamos entender melhor as cestas de serviços dos bancos. Quando optamos por um pacote mais elaborado, pagamos mais para ter mais serviços incluídos. Por outro lado, os pacotes básicos contam apenas com serviços corriqueiros que a maior parte das pessoas utiliza. Tudo isso é tarifado mensalmente e descontado automaticamente de seu saldo no banco.

Tarifas da Conta Corrente

Você sabe o quanto paga para usar sua conta bancária?

Serviços Bancários Essenciais

Nós já falamos antes aqui no Crédito e Débito sobre os serviços bancários essenciais. Eles foram criados pelo Banco Central em 2008, juntamente com uma série de medidas para regulamentar os serviços bancários e suas tarifas. A lista de serviços gratuitos inclui:

  • fornecimento de um cartão magnético que sirva para movimentar a conta e realizar contas no débito (o cartão de crédito é cobrado separadamente);
  • fornecimento de até 10 folhas de cheques todos os meses, sendo exigido apenas que o cliente cumpra os requisitos exigidos para utilização da forma de pagamento;  
  • fornecimento de uma segunda via do cartão magnético quando esse apresentar problemas ou estiver vencido (a troca poderá ser cobrada em casos de roubo, furo, extravio ou dano causado pelo uso)
  • realização de até 4 saques por mês tanto nos guichês de caixa (inclusive por meio de cheque ou cheque avulso) quanto nos caixas eletrônicos;
  • fornecimento de até 2 extratos por mês, com a movimentação da conta nos últimos 30 dias;
  • realização de até duas transferências entre contas do mesmo banco, que podem ser feitas na agências, nos caixas eletrônicos ou em outros canais disponibilizados pelos bancos;
  • fornecimento anual de um extrato consolidados, com informações relativas aos últimos 12 meses de movimentação da conta, emitido até o dia 28 de fevereiro de cada ano;
  • realização de consultas pela internet ou outros canais eletrônicos sem limite de acessos.

Observando a lista, você deve ter notado que aquela cesta de serviços do exemplo acima só inclui serviços gratuitos. Muitos bancos fazem isso: oferecem um pacote que, na verdade, poderia não ter custo algum para o cliente. No entanto, como os serviços essenciais não são divulgados, muita gente acaba aceitando uma cesta de serviços básica com custo mensal.

Problemas na Abertura da Conta

Um levantamento feito pelo Idec após a criação dos serviços essenciais mostrou que a maior parte dos bancos brasileiros não ofereciam a isenção obrigatória. Não é difícil entender porque as instituições negam os serviços gratuitos, mas sendo um direito garantido aos brasileiros, cabe a nós lutar e defender aquilo que conquistamos.

No momento da abertura da conta, os bancos não disponibilizam um pacote com serviços os serviços essenciais gratuitos – o que facilitaria bastante a contratação. Além disso, os funcionários parecem não estar preparados para lidar com situação, sendo que muitos neles nem sequer conhece as determinações do Banco Central de 2008.

Na hora de solicitar uma conta sem custos, o cliente pode ser levado a abrir uma conta salário ou outra modalidade de conta disponível do banco. Às vezes é preciso insistir para conseguir o contrato da conta corrente sem custos, mas com um pouco de persistência, é possível sim ter acesso ao pacote isento. Mostre que você conhece a resolução do Bacen de 2008 e não desista, mesmo que tenha que procurar outro banco.

Como Migrar Para uma Conta Sem Custos?

Outro problema comum acontece com que já tem conta no banco e paga por uma cesta de serviços, mas deseja usar somente os serviços essenciais. Nesse caso, é preciso que o cliente cancele o pacote de serviços que ele contratou e migrar para uma conta corrente simples. Essa solicitação deve ser feita diretamente no banco, de preferência com gerente responsável pela sua conta.

No site Diário de Consumo, encontramos um modelo de carta para ser apresentada ao gerente do seu banco. Para ver o modelo, entre no link: www.diariodeconsumoporfernanda.blogspot.com.br/conta-corrente-gratuita-nao-pague-toa. A carta deve ser preenchida com os seus dados e depois entregue, em duas vias, no banco onde você possui conta.

O gerente certamente irá insistir para que você se mantenha com a cesta de serviços paga, mas lembre-se de que a redução de custos pode ser bem grande com o uso dos serviços essenciais. A questão é pensar se esses serviços atendem às suas necessidades, porque contratações adicionais podem sair mais caras fora do pacote, como vimos no exemplo.

 


RSS por email

Deixe sua opinião “Como ter uma Conta Corrente Gratuita

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.