É Possível Ter uma Conta Poupança Conjunta?

A conta conjunta é muito procurada por casais, parentes, sócios e amigos que desejam compartilhar a administração da vida financeira. A principal característica desse tipo de conta bancária é a existência de mais de um titular, sendo que todos os membros podem realizar movimentações e transações financeiras de acordo com o sistema escolhido.

Quando marido e mulher, por exemplo, optam por abrir uma conta conjunta, ambos passam a ter acesso ao valor aplicado na conta. Vamos supor que apenas o marido tenha uma renda fixa, mas a mulher seja responsável por gerir as despesas da família. Nesse caso, ela poderá usar o cartão magnético ou cheque para realizar saques, pagamentos e transferências com a renda do cônjuge sem estar utilizando o cartão do outro titular, que é pessoal e intransferível.

Por isso, a abertura de uma conta conjunta sempre requer uma relação de confiança. Várias pessoas optam por essa modalidade de conta, mas se esquecem que podem ocorrer problemas em caso de separação, briga ou discordância entre os titulares. O ideal é que a decisão pela conta conjunta seja feita com cautela, levando em consideração todas as possíveis desvantagens e problemas futuros.

Posso abrir uma conta poupança conjunta?

Agora que já comentamos brevemente sobre a conta conjunta, é hora de responder à pergunta que serve de título para este artigo. A resposta é: sim, você pode abrir uma conta-poupança com mais de um titular, desde que o banco ofereça essa opção. Dessa forma, um casal pode investir juntos em uma conta-poupança compartilhada. Associações e condomínios também pode utilizar esse tipo de poupança para guardar o dinheiro arrecadado e contar com alguma rentabilidade mensal da caderneta, apenas para citar alguns exemplos.

Conta Poupança Conjunta

Guardar dinheiro em conjunto pode ser um mau negócio

O funcionamento da conta poupança conjunta é exatamente igual ao da caderneta de poupança. O dinheiro fica guardado na conta, com rentabilidade mensal em torno 0,5% ao mês. Os titulares recebem um cartão magnético para movimentar o saldo da conta. Em muitos casos, esse cartão também possui uma bandeira para uso no débito em estabelecimentos comerciais parceiros.

Se a conta tem mais de um titular, todos têm acesso à rentabilidade da poupança, bem como ao saldo disponível. Por isso, é fundamental que haja um acordo entre os titulares sobre o modo como o dinheiro será usado. Assim como no caso da conta corrente conjunta, os bancos oferecem duas opções: a conta solidária ou simples. Na conta simples, todos os titulares precisam concordar antes que uma movimentação seja feita. Já para a conta solidária, os titulares tem acesso livro ao saldo disponível, independente da autorização do outro.

Cuidados Com a Conta Conjunta

Já imaginou se você tem uma grande quantidade de dinheiro guardada numa poupança-conjunta e, após uma briga, o outro titular simplesmente saca todo o montante? Essa é uma situação mais comum do que você imagina. Por mais próxima que seja a relação entre os titulares, é sempre possível que ocorram desentendimentos. O pior é que eles costumam resvalar na vida financeira.

Se você realmente quer abrir uma conta poupança conjunta, vale a pena consultar a possibilidade de uma conta simples. Como o dinheiro fica mais parado na caderneta, as movimentações precisarão de autorização de todos os titulares para serem feitas, tornando a aplicação mais protegida. Verifique também as demais condições do contrato para se precaver contra imprevistos.

Tipos de Conta Conjunta: Simples e Solidária

Se o banco permitir a abertura de uma conta poupança conjunta, você deverá escolher entre duas opções, a conta simples (conhecida como E) ou a conta solidária (também chamada de E-OU). Esta escolha fará diferença sobre a forma pela qual o dinheiro será administrado pelos titulares.

Na conta simples é necessário que todos os membros estejam de acordo com qualquer transação. Por exemplo, um saque não poderá ser feito sem a presença de todos os titulares. Já na conta solidária, a operação poderá ser feito por qualquer um dos titulares.


RSS por email

6 Comentários em “É Possível Ter uma Conta Poupança Conjunta?

  1. EUZIMAR disse em 18/11/2016 às 20:20:

    Caso um dos titulares venha a falecer mas tem filhos de casamento anterior, esses filhos terão direito ao dinheiro depositado?
    Obrigada!

    • Crédito e Débito disse em 28/11/2016 às 19:27:

      No geral, o valor de uma conta conjunta é do outro titular, mas consulte um advogado que poderá lhe orientar corretamente em seu caso, Euzimar.

  2. Tiago disse em 18/12/2016 às 11:29:

    Sobre a pergunta do Euzimar, uma vez eu li no site http://dicasbancarias.com.br/conta-conjunta-como-funciona/ a seguinte informação:
    “Se a conta é conjunta, o dinheiro que está na conta será dividida em :

    50% para o titular vivo
    50% divididos para os herdeiros
    Ou seja, 50% do valor deverá ser informado para entrar em inventário e ser dividido entre os herdeiros.

    Se o titular vivo esconder/omitir esse dinheiro e os outros herdeiros entrarem com ação na justiça, ele pode ser obrigado a devolver o dinheiro e pode ficar sem o direito da sua parte da herança.”

    • Crédito e Débito disse em 21/12/2016 às 12:02:

      Isso pode variar em muitas circunstâncias.
      Só um advogado pode analisar o caso.

  3. Taís disse em 07/06/2017 às 17:31:

    Eu já tenho uma conta poupança. Posso fazer dela mesmo conta conjunta?

    • Crédito e Débito disse em 17/06/2017 às 15:32:

      Converse com seu banco a possibilidade de adicionar novo titular, Taís.

Deixe sua opinião “É Possível Ter uma Conta Poupança Conjunta?

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.