O que é IOF? Como não Pagar Sobre o Cartão de Crédito?

Comumente, a maioria das operações financeiras sofrem juros e incidem impostos. Por isso, todos os titulares de contas bancárias, cartões e indivíduos que utilizam serviços financeiros devem conhecer quais são estes impostos e tarifas. Isso é muito importante para que seja feito um planejamento financeiro minucioso e que beneficie a vida cotidiana. Visto isso, é importante que os indivíduos conheçam o IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras).

O IOF é cobrado em formas de alíquotas, que variam de acordo com a operação feita. Todas as pessoas físicas ou jurídicas que realizam operações de câmbio, crédito e seguro, e também operações que envolvem os títulos mobiliários realizam o pagamento do IOF. Abaixo iremos falar mais sobre este imposto, confira.

IOF – Imposto Sobre Operações Financeiras

O IOF é um imposto que incide sobre as movimentações financeiras. O Governo Federal utiliza este imposto tanto para arrecadar dinheiro, quanto para analisar o mercado no país. Quanto mais for arrecadado com o IOF, significa que mais o mercado financeiro cresceu e mais operações financeiras relativas ao crédito, câmbio e seguros foram feitas.

As alíquotas do IOF variam, pois as porcentagens são diferentes de acordo com a operação realizada. E, ainda, a tabela de alíquotas do IOF pode sofrer alterações, pois a sua regulação não é responsabilidade do Congresso Nacional.

O IOF é um imposto cobrado sobre as operações financeiras de câmbio, crédito e câmbio.

Para evitar o pagamento do IOF, é necessário não utilizar as operações de crédito. E, as operações de crédito se configuram em uso dos cartões de crédito, cheques especiais, empréstimos, financiamentos e câmbios.

Felizmente, o IOF não incide em quaisquer situações de uso do cartão de crédito. Este imposto é cobrado quando não é realizado o pagamento total da fatura, e sim de um valor parcial ou mínimo. Assim, será cobrado IOF de 0,38% sobre o valor que resta, que não foi pago. Ademais, será pago mais 0,0082% ao dia, até que todo o valor seja pago.

Ainda, quando o indivíduo realiza compras no exterior, em moeda estrangeira como o dólar ou euro, é cobrado IOF de 6,38% sobre o valor da compra, que será cobrado na próxima fatura.

Em relação ao cheque especial, é cobrado também 0,38% sobre o valor que está sendo utilizado, é adicional de 0,0082% por dia. O cheque especial é um tipo de empréstimo emergencial, e por isso a porcentagem de IOF cobrado nessa situação é a mesma cobrada nos empréstimos e financiamentos.

Quando há o câmbio de moeda, que é a compra ou venda de moeda estrangeira, também há a incidência do IOF. A alíquota cobrada é de 0,38% para transações de câmbio feitas em território nacional. Ou seja, você paga esta porcentagem em cima do valor da moeda, logo no momento do câmbio.

Nos seguros, incide 0,38% sobre o valor total do prêmio do seguro. E, para outros tipos de seguro, como que há cobertura para carros e outros veículos, a alíquota do IOF é de 7,38%. Também é cobrado IOF sobre investimentos, ouros e títulos imobiliários.

Como evitar a cobrança de IOF no cartão de crédito?

Como mencionamos acima, o IOF é cobrado em duas situações no que se trata do cartão de crédito, quando não há o pagamento total da fatura e quando são feitas compras no exterior.

Desta forma, para que você evite a cobrança do IOF no cartão de crédito, é necessário primeiro utiliza-lo de forma sensata e programada. Sempre se esforce para pagar integralmente a fatura do cartão. Use-o somente para compras essenciais ou online, quando há a necessidade de parcelamento ou algo semelhante. O imprescindível é sempre analisar a situação, e determinar se usar o cartão de crédito será algo benéfico.

Assim, com o planejamento, você terá uma grande possibilidade de pagar o total da fatura. Porém, podem acontecer situações inusitadas. Além disso, sempre quando for viajar, dê preferência para utilizar dinheiro. As compras internacionais também possuem cobrança de IOF.


RSS por email

Deixe sua opinião “O que é IOF? Como não Pagar Sobre o Cartão de Crédito?

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.