Todos os contribuintes que pagam o seu IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) em dia podem obter  o desconto de 3% do Programa Bom Pagador. É preciso apenas manter-se regular nos pagamentos por dois anos consecutivos, e o benefício automático é aplicado ao ano seguinte. Assim, como pode-se perceber, pagar o IPVA em dia é bastante vantajoso.

Porém, nem todos conseguem quitar este imposto no período correto, entrando no atraso. Pagar o IPVA atrasado é algo relativamente simples, mas o que é realmente agravado, com este atraso, é o valor do imposto.

Caso esteja nesta situação de atraso e deseja pagar o seu imposto, é preciso, primeiro, acessar o site do Detran ou da Secretária da Fazenda do seu estado e verificar as pendência relativas ao seu veículo. E, depois, é necessário emitir uma Guia para Regularização de Débitos. Todos os juros e multas já estarão incluídos. Confira abaixo mais sobre este processo detalhadamente.

IPVA em atraso, como pagar?

Como mencionado, o Programa Bom Pagador proporciona, para os contribuintes que mantiverem o IPVA regularizado por dois anos consecutivos, no mínimo, um desconto de 3% no tributo. Os contribuintes em atraso, logo, não recebem este desconto. Na verdade, eles devem arcar com as multas e juros decorrentes do não-pagamento do imposto na data correta, além do valor inicial do tributo.

Para pagar o IPVA em atraso é preciso, primeiro, identificar todas as pendências relativas ao seu veículo. E, isto pode ser feito no site do Detran ou da Secretária da Fazenda do seu estado. Basta realizar sua procura utilizando o número da placa e Renavam do carro. O resultado irá apresentar todos os valores pendentes relativos à este veículo, incluindo o IPVA em atraso.

Saiba como pagaro IPVA em atraso.
Saiba como pagaro IPVA em atraso.

Por este mesmo site, será possível emitir a Guia para Regularização de Débitos, que já terá todos os juros e multas, atualizados e com correção monetária. Pode-se escolher pagar o IPVA à vista ou parcelado, método que terá a incidência de juros.

Caso escolha o parcelamento, será necessário comparecer à Secretaria da Fazenda para realizar a negociação do débito. Também, alguns estados possuem a opção de negociação online, pelo site do Detran, o que facilita este processo. Por isto, antes de ir à sede da Secretaria, veja se o parcelamento online está disponível para você.

Para o parcelamento, é preciso levar, no atendimento presencial, documentos de identificação originais, como o RG e CPF e os documentos de identificação do veículo, principalmente o CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo).

Pode-se realizar o pagamento do débito em uma casa lotérica, na própria sede da Secretaria da Fazenda ou no banco. Se tiver optado pelo parcelamento, basta quitar a primeira parcela. Caso pague apenas as primeiras parcelas da negociação e entre em inadimplência nas demais, esta negociação é cancelada.

É importante lembrar que o atraso no pagamento do IPVA gera ulta diária, além de também cobrar multas por mês. Esta multa pode chegar a até 0,33% por dia, em alguns estados que possui maior cobrança.

Quais são as consequências de atrasar o IPVA?

O IPVA é um imposto obrigatório que deve ser pago anualmente por todas as pessoas que não tiverem a isenção. Logo, caso não pague o IPVA, além de sofrer a cobrança de juros e multa, o proprietário do veículo também poderá impedir o licenciamento do veículo, restringindo-o de transitar em vias públicas.

Ademais, o atraso no pagamento deste imposto ocasiona a inclusão do nome na lista de devedores do SPC, Serasa e SCPC, na dívida ativa, a impossibilidade de transferir o veículo para terceiros, o risco de apreensão do veículo e de perder pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além do risco de perder o bem em uma execução fiscal.