Quais são os Índices, Rendimentos e Taxas da Poupança?

Hoje em dia, mais de 60 milhões de brasileiros apostam na poupança como modo de rendimento do dinheiro. Ela é uma velha conhecida nossa, surgiu em 1861, criada pelo Imperador Dom Pedro II, que ofereceu o rendimento aos mais desprovidos a 6% ao ano. Ainda é um modo bem comum que os brasileiros usam para guardar e render, uma vez que é um investimento de baixo risco.

A poupança é isenta de imposto de renda e IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Além disso, as regras da poupança são totalmente reguladas pelo Governo. As contas poupanças são oferecidas pelas instituições financeiras presentes no país. Todos os bancos utilizam a mesma correção, pois a rentabilidade é determinada pelo Banco Central, então não é preciso pesquisa-las individualmente.

Ao falarmos de poupança, é necessário falar sobe o dilema de rentabilidade x segurança. É, sem dúvidas, um meio que rende pouco, em detrimento de outros.  Contudo, é um meio que também representa muita segurança. Mas, quais são os números? Quais as taxas? Vamos desvendar todas estas perguntas no post de hoje.

Qual o rendimento da poupança?

A poupança tem o rendimento determinado de acordo com a Taxa Selic e a Taxa Referencial, desde maio de 2012. A partir do dia 4, a conhecida como Nova Poupança passou a ser regulada por estas duas regras. O investimento paga 70% da Taxa Selic, quando ela está até 8,5% ao ano. Quando acima, o rendimento é 0,5% por mês mais a Taxa Referencial.

A Taxa Selic significa Sistema Especial de Liquidação de Custódia. Ele registra todas as operações referentes ao Tesouro Nacional. Como os bancos, que são os principais movimentadores destas operações, devem fechar o dia em equilíbrio, para evitar dinheiro em excesso circulando e desestabilizar a inflação, acontecem milhares de operações bancárias por dia.

Assim, as instituições fazem trocas entre si de títulos com validade de um dia, em cima de juros. Por isso, é feita uma média ponderada em cima destes números, criando a Taxa Selic Overnight. Anualmente, ela é a taxa Selic Meta, determinada para estabelecer um parâmetro para estes juros. Em setembro de 2018 ela foi determinada a 6,5% ao ano.

Já a Taxa Referencial foi criada pelo governo Collor, no momento de grande inflação, para divulgar diariamente o valor do dinheiro. Hoje, ela ainda é utilizada para índices de reajuste e é divulgada no site do Banco Central.

Portanto, com a Selic a 6,5%, índice menor que 8,5%, o rendimento corresponde a 70% dela mais a TR, que hoje se encontra a 0%, o que resulta em 4,55% ao ano. Isso representa um rendimento de 0,37% ao mês.

É muito importante fica atento aos juros da poupança. Você pode retirar seu dinheiro a qualquer momento da conta. Porém, os juros são repassados em períodos de 30 dias. Por exemplo, se você retirar seu investimento sem completar estes 30 dias, não receberá o juros daquele mês. Isso é conhecido como Aniversário da Poupança. O saque da quantia deve ser bem pensada para evitar que se perca um mês de investimentos.

Além do Retorno Absoluto, que seriam os 4,55% expostos, existe também o Retorno Real Descontada na Inflação. Este é o percentual que você recebe, descontado o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Desde 2010 esta taxa está decaindo, e em 2015 a caderneta perdeu para inflação ao invés de ganhar.

Observe a tabela, retirada do Banco Central, abaixo:

Ano    Retorno Absoluto (%) Retorno Real Descontada a inflação (%)
2010 6,90 0,94
2011 7,50 0,94
2012 6,47 0,60
2013 6,37 0,43
2014 7,16 0,71
2015 8,07 -2,34
2016 8,07 -2,34
2017 6,57 3,62
2018 4,55 1,12
2019 4,55 0,80

Até o momento, não são cobradas taxas sobre a poupança. Todo dinheiro investido pode ser retirado, sem data limite, após um tempo sem sofrer nenhuma dedução de taxas, sejam impostos, seja de serviços prestados pelo banco (exceto se o cliente contratar serviços especiais). No entanto, há a tentativa por parte do governo de taxar a poupança de clientes com depósitos elevados a fim de incentivar outras formas de investimento.

É perceptível que a poupança é um meio que não é tão rentável. Existem outros, tão seguros quanto, que podem render mais. Tem-se o CDB (Certificado de Depósito Bancário), um título de renda fixa feito pelos bancos. Você pode optar por uma taxa fixada ou pré fixada, que varia com taxas. Essa modalidade também permite que o indivíduo retire seu dinheiro a qualquer momento. Semelhantes a este tem-se o LC (Letra de Câmbio), feito por uma financeira, o LCI (Letra de Câmbio Imobiliário) e o LCA (Letra do Crédito do Agronegócio).

Outra opção é o investimento no Tesouro Direto, que possui riscos ainda mais baixos que os da poupança. É um título público, e seus retornos são feitos pelo governo. Com ele, você pode ganhar até o dobro do que com a poupança. Existe as modalidades de juros atrelados à inflação, prefixados e indexado à taxa Selic.

Portanto, é mais aconselhável, atualmente, optar por outros tipos de investimento em detrimento da poupança. Com o LCI, CDB e Tesouro Direto pode-se obter ganhos de quase 100% do CDI.


RSS por email

Deixe sua opinião “Quais são os Índices, Rendimentos e Taxas da Poupança?

Regras para comentar

Os comentários são moderados e não serão aceitos ou respondidos sem cumprir as regras abaixo:

  1. Leia o artigo e os comentários para saber se sua questão já não foi respondida.
  2. Não respondemos por nenhuma empresa, sendo assim, não enviamos propostas ou damos suporte.
  3. Não faça propaganda.
  4. Comentários mal escritos, com erros e deselegantes, não serão aceitos.
  5. Não divulgue seus dados pessoais, como documentos, telefone, endereço etc, pois eles estarão vulneráveis.