No primeiro trimestre de 2019, os investimentos feitos pelos brasileiros já alcançaram R$ 2,98 trilhões. E, segundo pesquisas, 39,6% deste valor é destinado aos fundos de investimento. Em segundo lugar, ainda está a poupança, que tem 39,1% deste valor total em investimentos. Ou seja, R$ 725,4 bilhões. Vê-se, então, que a poupança ou caderneta ainda é um método de investimento muito comum entre os brasileiros, apesar de não apresentar grandes rendimentos. A caderneta é uma aplicação segura, em que o indivíduo tem a certeza de que não irá perder dinheiro.

Não importa se o indivíduo tem uma poupança na Caixa, Banco do Brasil, dentre outros bancos, pois o rendimento é igual para todas instituições bancárias. Atualmente, o rendimento da caderneta é de 70% da Selic, uma taxa básica de juros definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom), mais a Taxa Referencial (TR). Porém, caso a Selic esteja acima de 8,5% ao ano, o rendimento é diferente.

Como é o rendimento da poupança?

A poupança ainda é uma das formas de investimento mais famosas entre os brasileiros, devido à sua facilidade de manutenção, isenção de tarifas, segurança, dentre outras vantagens. Assim, caso queira optar pela caderneta para fazer o seu dinheiro render, é preciso entender como funciona esta conta e qual o seu rendimento.

Em 2012, as regras de rendimento da poupança sofreram certas mudanças. Quando a Selic, uma taxa básica do juros, está abaixo de 8,5% ao ano, a poupança rende 70% do valor desta taxa básica mais a Taxa Referencial (TR). Já nas situações em que a Selic está maior do que 8,5% ao ano, o rendimento da caderneta é 0,5% ao mês mais a TR.

Conheça o rendimento da poupança.
A poupança, atualmente, rende apenas 70% da taxa Selic mais a Taxa Referencial.

Atualmente, a taxa Selic está 6,5% ao ano, o que significa que o rendimento da poupança é 70% do valor desta taxa mais a TR.  Logo, o rendimento da poupança hoje é 3,85% ao ano e 0,32% mensalmente, o que é algo baixo no que se trata de investimentos. Assim, caso um indivíduo invista R$ 100,00 na poupança hoje, ele irá sacar R$ 103,85 no ano seguinte.

Como investir na poupança e obter rendimentos?

Para começar a investir na poupança, é preciso abrir uma caderneta. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, possui três modalidades de poupança, que podem ser escolhidas de acordo com a necessidade de cada cliente.

A Poupança Integrada é vinculada a conta-corrente do cliente, e para ativa-la, é preciso apenas transferir o valor da conta corrente-para a poupança integrada. Isso pode ser feito por Agências Caixa, terminais de Autoatendimento, Internet Banking Caixa ou pelo celular. Já a Poupança Azul é ideal para manter as economias apenas em um local, utilizando um cartão próprio.

Por fim, a Poupança Caixa Fácil é uma forma simplificada da caderneta, que pode ser aberta em Lotéricas e Correspondentes Caixa Aqui e que possui limite de saldo e movimentação mensal de R$ 3.000,00.

Além da Caixa Econômica, o indivíduo também pode optar por muitas outras instituições bancárias, como Banco do Brasil, Bradesco, etc.

Depois de abrir a sua poupança, é preciso depositar ou transferir dinheiro para a conta. E, é importante mencionar que, quanto mais tempo deixar seu dinheiro na conta poupança, mais ele rende, e também, quanto mais dinheiro for aplicado, maior o lucro.

Todas as poupanças possuem o aniversário, que é o dia em que o dinheiro depositado completa 30 dias na conta poupança e rende mensalmente. Caso o indivíduo deposite uma quantia, mas tire o dinheiro ou o saque parcialmente antes do aniversário, ele não irá render ou renderá proporcionalmente ao que continua na conta.

Assim, caso o titular da conta pretenda fazer o seu dinheiro render, é muito importante que ele não retire a quantia antes do aniversário, pois senão não ganhará nada com a poupança. Mas, também, não perderá dinheiro, pois a poupança não possui tarifas.

Se o indivíduo desejar outros investimento que sejam mais rentáveis do que a poupança, pode-se optar pelo CDB, Tesouro Direto, LCI e LCA, Letra de Câmbio, Fundo de Renda Fixa, Fundo Multimercado, Debêntures ou COE (Certificado de operações estruturadas).