O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) é um órgão governamental do Ministério da Previdência Social. Ele é responsável pelo pagamento da aposentadoria e outros benefícios aos contribuintes da Previdência Social, como aposentadoria por tempo de contribuição, por idade e invalidez, pensão por morte, auxílio-doença, auxílio-acidente, salário maternidade, dentre outros. Logo, como pode-se perceber, este órgão tem como principal objetivo garantir a renda dos contribuintes em casos de gravidez, morte, doença, prisão, velhice e acidente.

Para evitar que certas pessoas que recebam aposentadoria muito altas, que proporcionam uma grande desigualdade econômica, é definido um teto da aposentadoria. Este teto é o valor máximo que é permitido ser pago aos contribuintes pelo Estado, a fim de limitar os gastos da Previdência e equilibrar as contas governamentais. Atualmente, o teto máximo da aposentadoria é R$ 5.839,45, R$193,65 a mais do que 2018.

Muitas pessoas desejam aposentar com o teto máximo, devido à quantidade confortável de dinheiro que é cedida ao aposentado. Porém, para que consiga receber o teto do INSS, é preciso contribuir com 11% do valor do teto durante durante, no mínimo, 80% da vida ativa. Também, além disso, é necessário ter a idade mínima de aposentadoria e tempo de contribuição o suficiente. Abaixo, saiba mais sobre esta pauta.

Como aposentar com o teto máximo do INSS?

Muitas pessoas desejam aposentar recebendo o teto máximo da aposentadoria, para que possam viver confortavelmente após anos realizando as suas contribuições. Atualmente, o teto do INSS corresponde a R$ 5.839,45, o que representa um aumento caso compare este valor com o de 2018. Porém, para aposentar recebendo o teto, deve-se ter em mente que a contribuição não será barata, ao longo dos anos.

Para aposentar com o teto máximo, é preciso contar com um histórico alto de salários, possuir idade superior a 60 anos na data da aposentadoria e contribuir durante 80% da vida ativa sobre 11% do valor do teto. Logo, como pode-se perceber, há diversos requisitos para se aposentar recebendo o valor máximo do INSS.

Em relação à contribuição, os funcionários que tiverem carteira assinada, recebendo R$ 5.839,45 ou mais do que este valor, deverão ter o desconto de 11% na folha de pagamento, em relação ao INSS. Ou seja, os empregadores deverão ter R$642 em contribuição. Já os profissionais autônomos devem contribuir com 20% do teto, totalizando R$1.167,89.

Saiba como aposentar-se com o teto máximo da previdência
Atualmente, para aposentar-se com o teto máximo, é preciso ter fator previdenciário acima de 1.

É necessário mencionar que a Previdência Social, que é responsável pelo pagamento da aposentadoria, calcula o valor deste benefício considerando a média dos 200 salários mais altos do empregado, levando-se em conta os últimos 20 anos da vida ativa do trabalhador. Desta forma, para receber o teto máximo, é necessário que o trabalhador tenha tido salários altos durante toda a sua vida, praticamente.

Atualmente, pela regra vigente da Previdência, a fim de obter o teto máximo, os trabalhadores devem calcular a aposentadoria levando em conta a média de 80% das maiores contribuições feitas desde julho de 1994, depois da implementação do Plano Real.

Considerando-se um trabalhador que cumpriu esta contribuição de 80% sobre o teto, ele terá uma média de salários de R$ 5.580,24. Para aumentar este valor para R$ 5.839,45, a aposentadoria deve ser calculada em conjunto com fatores de idade e com o período de contribuição, a fim de estabelecer um fator previdênciário acima de 1.

Caso o indivíduo queira se aposentar pelo tempo de retribuição, é preciso contribuir por 30 anos, se for mulher, e 35 anos, se for homem, de acordo com as condições citadas acima. Já para quem se aposenta por idade, é necessário ter no mínimo 15 anos de contribuição e 60 anos se mulher, e 65, caso for homem.

Exemplo de cálculo

Iremos dar um exemplo de como calcula-se o benefício, para obter-se o teto máximo. O caso trata-se de um trabalhador de tenha 63 anos e 40 anos de contribuição. O fator previdênciário para este perfil é 1,080. Caso ele tenha feito no mínomo 80% das suas contribuições pelo teto, sua média é R$ 5.580,24.

Para calcular este benefício, multiplica-se a média salarial, de R$ 5.580,24, pelo fator previdênciário. Assim, o resultado será R$ 6.023,66. Como isto é mais do que o teto máximo permitido, a aposentadoria será limitada a R$ 5.839,45.

Para obter o teto máximo, é preciso ter o fator previdênciário acima de 1. E, para aumentar este fator, é preciso aposentar-se com mais idade e realizar mais contribuições com a Previdência.